Escola Profissional de Artes da Covilhã (EPABI) [Encerramento]

Cabec Pi 2020

Escola Profissional de Artes da Covilhã (EPABI)

Quinteto de Sopros | Direção: Francisco Luís Vieira
Quarteto de Saxofones e Percussão | Direção: Tiago Gonçalves
Ensemble de metais | Direção: Francisco Luís Vieira

14 de março | 21 h | UBI – Anfiteatro da Parada

 

Escola Profissional de Artes da Beira Interior – EPABI

A Escola Profissional de Artes da Covilhã foi criada a 3 de setembro de 1992, com o nome de Escola Profissional de Artes da Beira Interior – EPABI, mediante despacho conjunto do Ministério da Educação e do Emprego e Segurança Social, tendo como entidades promotoras o Conservatório da Covilhã e a Câmara Municipal da Covilhã.

A instituição tem autonomia pedagógica, administrativa e financeira e adota níveis de formação II (equivalente ao 9º ano de escolaridade) e III (equivalente ao 12º ano de escolaridade). Ministra o curso Básico de Instrumento (nível II) e os cursos de Instrumentista de Cordas e Teclas e de Sopros e Percussão (nível III), nas especialidades de piano, acordeão, violino, viola d’arco, violoncelo, contrabaixo, guitarra, flauta transversal, oboé, clarinete, fagote, saxofone, trompete, trompa, trombone, tuba e percussão.

Ao longo da sua existência, para além das atividades de ensino – formação nas três áreas do plano de formação, sociocultural, científica e artística, destacam-se prestigiantes atuações das Orquestras e grupos de Música de Câmara da EPABI, em palcos nacionais e no estrangeiro que confirmam a instituição como agente dinamizador cultural.

Desde a sua criação, a EPABI já formou muitos alunos que são hoje profissionais de reconhecido mérito no panorama musical nacional e internacional.

 

QUINTETO DE SOPROS

5sopros

Formação instrumental da EPABI, sob a orientação do Prof. Francisco Luís Vieira, constituída pelos alunos Joana Costa (flauta), Catarina Farias (oboé), Maria André (clarinete), Henrique Ramos (trompa) e Beatriz Garcia (Fagote).

FRANCISCO LUÍS VIEIRA

francisco-luis-vieira.jpg

Natural de Vila do Conde, diplomou-se na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, sob a orientação do professor Lopes da Cruz, tendo também estudado com os professores Santos Pinto e Ricardo Lopes e, posteriormente, na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do professor Andrew Swinnerton. Frequentou vários cursos de aperfeiçoamento em Portugal e no estrangeiro.

Em 1988 obteve o 1º Prémio do Concurso da Juventude Musical Portuguesa e o 1º Prémio do Concurso Jovens Músicos Portugueses, o qual lhe permitiu apresentar-se como concertista na extinta Orquestra Sinfónica da R.D.P, sob a direção do Maestro Silva Pereira.

Como concertista também se apresentou com a Orquestra das Escolas de Música; Orquestra da Juventude Musical Portuguesa; Orquestra Sinfónica Juvenil; Sinfonietta de Lisboa; Orquestra de Câmara e Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana.

Na temporada de 1989 foi solista na Orchestre de Jeunes de la Meditérranée, sob a direção do Maestro Michel Tabachnik, em França integrou regularmente, como convidado, a Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian; Orquestra do Teatro Nacional de S. Carlos; Nova Filarmonia Portuguesa e Orquestra Regie Sinfonia do Porto.

Atuou em programas para a R.D.P e R.T.P. Tem realizado diversos recitais de música de câmara e a solo. Ao longo da sua carreira, atuou em Portugal Continental, Açores e Madeira, Espanha, França, Luxemburgo, Bélgica, Grécia, Itália, Suíça e Suécia.

Frequentou aulas de direção com o maestro Jean-Sébastien Béreau.

Foi professor de oboé no Conservatório de Música de Coimbra, na Academia de Música de Almada, no Conservatório Regional de Castelo Branco, no Collegium Musicum de Seia, no Conservatório Metropolitano de Música de Lisboa, na Universidade de Évora, na Escola de Música Nossa Senhora do Cabo (Linda-a-Velha) e no Conservatório de Música D. Dinis.

Foi solista/chefe de naipe na Orquestra e Banda Sinfónica da Guarda Nacional Republicana.

É frequentemente convidado a integrar várias orquestras portuguesas. Tem ministrado
diversos cursos de aperfeiçoamento/masterclasses, um pouco por todo o país. Tem sido
orientador de naipe em vários workshops/estágios/festivais de orquestras de jovens, assim como tem sido júri em alguns concursos.

É fundador e diretor do Ensemble Palhetas Duplas .

É professor de oboé no Conservatório de Música da Covilhã e no Conservatório de Música de S. José da Guarda.

Leciona oboé, música de câmara e orquestra de sopros na EPABI-Escola Profissional de Artes da Covilhã, onde exerce a função de diretor artístico.

 

QUARTETO DE SAXOFONES E PERCUSSÃO

 

EPABI - Quarteto de Saxofones e Percussão (4)

Formação instrumental da EPABI, constituída pelos alunos Francisco Silva (saxofone soprano), Filipe Salvado (saxofone alto), Diogo Ferreira (saxofone tenor), Guilherme Gonçalves (saxofone barítono) e Bernardo Reisinho (percussão), sob a orientação do Prof. Tiago Gonçalves.

TIAGO GONÇALVES

tg_foto

Iniciou os seus estudos musicais aos 15 anos, numa escola de música de carácter particular, sob a orientação do Professor Jaime Dias. Em 2001, ingressa na Academia de Música de Costa Cabral – Porto onde conclui o 3º grau. No ano 2004, ingressa no Conservatório de Música do Porto, na classe com o professor Francisco Ferreira. Em 2007, ingressa na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto, onde terminou em Julho de 2010 a Licenciatura em instrumento – Saxofone, com a classificação de 18 valores, sob a orientação dos professores Henk van Twillert e Fernando Ramos. Colaborou com a Orquestra Sinfónica da ESMAE, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra Portuguesa de Saxofones, entre outras, tendo trabalhado com os maestros, António Saiote, Jan Cober, Douglas Bostock, Marcel van Bree, Francisco Ferreira, Vicente Soler Solano e Henk van Twillert, Kamen Golaminov. Frequentou diversos Cursos de Aperfeiçoamento e Masterclasses de saxofone e Direcção de Orquestra, com os professores Jean Yves Formeau, Vincent David e Gilberto Bernardes, Henk van Twillert, Mário Marzi, João Figueiredo, Claude Delangle, Arno Bornkamp, José Massarrão, Direcção de Orquestra com o Maestro Francisco Ferrera.

Participou em concursos nacionais e internacionais, dos quais se destacam: 1º prémio no “Concorso per Giovanni Interpreti Cita di Chieri”, em Itália, nas categorias música de câmara, com o Ensemble de Saxofones Vento do Norte (2007) e as primeiras Jornadas do Saxofone no Porto. É membro fundador do grupo e saxofones Vento do Norte, com o qual já venceu vários prémios de Musica de Câmara e se apresentou em concertos por todo o país, na Venezuela, Bélgica, Holanda. Em Maio de 2008, gravou com este mesmo grupo o primeiro CD “Adagio for Saxophones”, no tour Yamaha Pro Custom Sax Tour- Benelux. Em 2008, tornou-se membro da Orquestra Portuguesa de Saxofones, sediada na ESMAE, onde participou em concertos por todo o país e Holanda, de onde se destacam os concertos no Teatro Helenos Sá e Costa, Festival Internacional de Saxofone de Palmela, no Auditório do Conservatório de Amsterdão e em Caracas – Venezuela.

Leciona saxofone na Escola Profissional de Música da Covilhã e Academia de Música e Dança do Fundão.

 ENSEMBLE DE METAIS

Esta formação instrumental da EPABI é uma parte da secção dos metais integrante da Orquestra de Sopros da EPABI, sob a orientação do Prof. Francisco Luís Vieira.

 

Create your website at WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close