O Pi de artesãos que trabalham o redondo

cabecPi.png

Palestra
O Pi de artesãos que trabalham o redondo
Cecília Costa

14 de março, 11 h |Agrupamento de Escolas do Teixoso
14 de março, 15 h |Escola Secundária Campos Melo

Sinopse

“Trabalhar o redondo” é uma expressão usada pelos tanoeiros da região de Trás-os-Montes e Alto Douro, com a qual caracterizam a dificuldade da sua arte. Aqui o redondo, subentende a noção matemática de circunferência e, como necessitam de efetuar cálculos, o uso do número Pi, ainda que na maior parte das vezes, de modo inconsciente.

Costa, Catarino e Nascimento (2011) descobriram que tanoeiros usam um valor aproximado de Pi nos seus cálculos para o volume dos pipos; também Fernandes (200?) refere o “Pi das costureiras” no fabrico de toalhas redondas, conhecidas pelo nome de camilhas. Um latoeiro, entrevistado por Costa, Catarino e Nascimento (2008) refere-se à importância do número Pi na simplificação de cálculos que necessita de fazer na sua arte da latoaria.

Nesta palestra apresentaremos estes e outros exemplos que mostram a importância, a utilidade e o encanto do número Pi em profissões artesanais.

Referências

Costa, C., Catarino, P. e Nascimento, M.M.S. (2008). Latoeiros em Trás-os-Montes e Alto Douro: saberes (etno)matemáticos. In P. Palhares (Coord.), Etnomatemática. Um olhar sobre a diversidade cultural e a aprendizagem matemática. Vila Nova de Famalicão: Edições Húmus.

Costa, C., Catarino, P. e Nascimento, M.M.S. (2011). The alto douro “wine coopers’ pi”. Proceedings of the International Conference on New Horizons in Education – INTE2011, Instituto Politécnico da Guarda, Guarda, Portugal, pp. 780-785.

Fernandes, E. (2002). A matemática das costureiras – “É o pi de noventa…”. Educação e Matemática, 66: 11-12.

 

Cecília Costa

ceciliacosta.jpg

Cecília Costa, portuguesa, nascida no Porto em 1966, é licenciada em Matemática (Ramo Educacional) em 1990, pela Universidade do Porto, mestre em Ciências da Educação (ramo de Psicologia da Educação) em 1994, pela Universidade de Coimbra, doutora em Matemática, em 2000 e agregada em Didática de Ciências e Tecnologia (especialização em Didática de Ciências Matemáticas), em 2013, ambos pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Tem várias publicações nacionais e internacionais. Os seus interesses como investigadora dividem-se pela: Educação Matemática; Didática da Álgebra Linear e da Geometria; Etnomatemática; História da Matemática e do seu Ensino; Práticas de ensino.

foto: https://www.casadasciencias.org/3encontrointernacional/wkb2.php

Create your website at WordPress.com
Iniciar
%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close