Concurso “Poemas ao Número Pi”

Vencedores

 

Categoria Júnior

1.º lugar
O fascinante π
Pseudónimo: Mia
Autora: Mariana Matos Duarte

2.º lugar
O Pi nas Nossas Vidas
Pseudónimo: A pensadora
Autora: Leonor Filipa Matos Marques

3.º lugar
Pi na Matemática
Pseudónimo: Elisa Santos
Autora: Elisabete Ferreira Melo

Categoria Sénior

1.º lugar
Insπração
Pseudónimo: πpoca
Autora: Ana Luísa Gonçalves Ratado Salcedas

2.º lugar
Infinito e mais além…
Pseudónimo: Vieirinha
Autor: António Sebastião Martins Pimenta

3.º lugar
No círculo exterior
Pseudónimo: Flobelle Svankemajer
Autora: Ana Maria de Jesus Monteiro

Menção honrosa
Os Fractais do Pensamento
Pseudónimo: Isaac Falcão
Autor: Afonso Guilherme Trindade Bonina de Mesquita

 

Poemas Vencedores

Categoria Júnior

1.º lugar
O fascinante π
Pseudónimo: Mia
Autora: Mariana Matos Duarte

O fascinante π

Sendo o Pi irracional
E talvez incalculável
Não deixa de ser o tal,
O tal número tão notável.

Entre o diâmetro e a circunferência
Há uma estranha relação
Desde os tempos de Alexandria,
O Pi é ancião.

Estando sempre acompanhado
E por ser tão abundante
Há uma certa obsessão
Por querê-lo assim tão constante.

Antigo, misterioso
E ainda por descobrir
Assim é o Pi,
Um número que nos faz sorrir!

 

2.º lugar
O Pi nas Nossas Vidas
Pseudónimo: A pensadora
Autora: Leonor Filipa Matos Marques

O Pi nas Nossas Vidas

Pi é um número irracional.
Como se lê P em Inglês.
No trânsito um apito intencional.
E é o que censura o palavrão Português.

O número Pi
É uma proporção numérica.
Foi na Matemática que aprendi
Após muita retórica.

Para se obter o valor de Pi
Existem muitas formas, sim!
Os métodos envolvem aproximações
Somas, multiplicações e divisões.

O valor de Pi
É de 3,14159...
Foi o maior número que já vi
E tenho quem o comprove.

O Pi não pode ser expresso numa fração.
É um número decimal.
Temos que ter especial atenção
A este número sensacional!

 

3.º lugar
PI na Matemática
Pseudónimo: Elisa Santos
Autora: Elisabete Ferreira Melo

Pi na Matemática

O PI pertence à matemática
Tal como as letras ao português.
3,14159... é o número
E ninguém sabe como se fez!

Se a vida é um segredo
A matemática é uma equação
Se o mundo são palavras
O que é o PI então?

A Covilhã é uma cidade
E matemática não lhe falta.
Até a ponte desenha um PI
Mas que ponte é essa tão alta?

3,14159... assim se inicia o PI
14 de março é a sua celebração
Agradecemos pela sua criação!

O mar vai e volta
A matemática é preciso perceber.
Se a souberes aplicar
O PI vais conseguir compreender.

Na vida há complicações
Na matemática há problemas
O PI é um grande número
Que se mete sempre em esquemas.

A poesia são mil poemas
A matemática é uma diversão.
0 PI vais ter de utilizar
E sem grande confusão!

 

Categoria Sénior

1.º lugar
Insπração
Pseudónimo: πpoca
Autora: Ana Luísa Gonçalves Ratado Salcedas

Insπração

Depois de muitas horas
exigentes de energia,
num plano paralelo ao chão
o Pi fez-me companhia.

- Sou um número bem famoso!
Assim se apresentou
e na minha curiosidade
um bom lugar encontrou.

- Posso ajudar-te a dormir,
pois precisas descansar,
e para tal conseguir
comigo podes contar!
Queres treinar a memória
ou saber a minha história?

- Que és famoso, isso sei!
Mais de ti quero saber,
e ouvir uma história
é bom para adormecer.

- Hum! Razão tens tu também,
já me conheces afinal,
apesar de quociente
não sou número racional!
Que sabes mais da minha existência?

- Sei que podem definir-te
a partir da circunferência,
mas só podem escrever-te
com infinita paciência!

- A minha infinitude
é fácil de ultrapassar,
o símbolo apresentado por Euler
pode-me representar.

Esta conversa vamos parar,
para me poderes enumerar!
Ouviste menina?!
Podes começar,
que os meus números vão-te embalar!

- Gostei de te conhecer,
a tua importância é um facto,
mais fácil é escrever-te
π como valor exato!

 

2.º lugar
Infinito e mais além…
Pseudónimo: Vieirinha
Autor: António Sebastião Martins Pimenta

INFINITO E MAIS ALÉM...

3,14 de Pi elevado ao infinito
e mais além...

Pi do perímetro
da circunferência
e do diâmetro. Além...

Pi da razão entre os dois,
proporção irracional e transcendente
entre as áreas do quadrado e do círculo. Além...

3,14 de Pi elevado ao infinito
e mais além...

Pi de Arquimedes e Ptolomeu.
Pi dos gregos, árabes e hindus.
Pi das escolas holandesas, inglesas,
francesas e japonesas. Além...
Cinco triliões de dígitos,
terabites de números
a transbordar dos computadores
das universidades americanas. Além...

3,14 de Pi elevado ao infinito
e mais além...

 

3.º lugar
No círculo exterior
Pseudónimo: Flobelle Svankemajer
Autora: Ana Maria de Jesus Monteiro

No círculo exterior

Eles não sabem que o Pi
É rigor sem precisão
A pluma de um espião.
Como outra coisa qualquer

Como estas margens das vozes
Em que se cravam punhais
Como estas sementes banais
Em esvaída solidão

Como esta mágoa na razão
Que em Arquimedes se espreita
Como esta infinita suspeita
Em polígono regular

Eles não sabem que o Pi
É altura, é perímetro, é mistério
Pirâmide, ponte e império
O eco da madrugada
Que aspira além do nada
A medida do hemisfério

Eles não sabem que o PI
É 666, é relato, é travessia
Rosto, trança ou poesia
Lápide perdida, escada,
Uma cortina rasgada,
Tragédia, distância,
Sino quebrado, fragrância,
Que é templo de Salomão

Cardiograma digital
Espiga, Casa decimal
Balada sôfrega de abundância
Que é a lira do Orfeu

Colmeia, estátua, rei sol
O canto do rouxinol
Astúcia, bastilha do ateu
Morcego e interdito anzol

Parábola faminta
Constante, ribalta
Sedução do argonauta
velhos-nomes, anos trinta

Peripécia, edificação
Batalhas, prerrogativas
Retirada em progressão
Nas figuras positivas

Eles não sabem nem sonham
Que o Pi é sombra na parede
E que sempre que o Pi avança
Entregando a sorte ao infinito
Como estas sombras na parede
Entre os velhos tempos do granito

 

Menção honrosa
Os Fractais do Pensamento
Pseudónimo: Isaac Falcão
Autor: Afonso Guilherme Trindade Bonina de Mesquita

Os Fractais do Pensamento

Insisto na persistência do desconhecido,
Na procura dos túmulos paradoxais
Dos Gigantes, cujos ombros,
Pensamentos e ideologias me inspiraram a ver mais longe.
Sinto uma espiral logarítmica de emoções racionais,
Um misto de sensações desconhecidas.

Este refrescante pensamento leva-me a ver o impossível.
Vejo, sinto, expresso o meu mundo em notações,
Que jamais serão vistas pelo olhar.
Séries, fractais, paradigmas e padrões
Invadem-me a alma na tentativa de abrir a fechadura
Que manteve cativa a minha mente no ser que hoje sou.

Sou eu mas não me sinto eu.
Nesta solitária vida dentro da minha cabeça
Só se vive em pensamento no cimo das montanhas da aprendizagem,
Onde partilho os meus dias com magníficos seres inexistentes
Que me mostram as carruagens da vida.

São dias belos passados no abismo do desconhecido,
Tentando sonhar o que para lá existirá, ou não.
Voo nas nuvens que separam a montanha da falésia,
Vendo e aprendendo o que os sábios gregos escreveram
E discutindo a evolução Renascentista desde então.

Voando aos tempos de Arquimedes aprendendo não só a filosofia,
Mas também a ciência dos números que descrevem o modo como vivo.
Sinto lógica, conhecimento, sabedoria e vontade de querer,
Não querendo no entanto ser conhecido.
Chamem-me louco, talvez porque o seja.

Dentro da minha alma não existe um mundo.
Nem dois, nem três...
Existem mundos paralelos à semelhança dos seus Universos
Todos respeitando leis Universais e quebrando outras,
De tal forma que cada um é único no seu padrão.

A lógica do pensamento que semeio ao longo desta minha caminhada
Mostra-me que a integral de alegria não significa felicidade
Podendo ser esta física ou mental,
Sendo que na minha mente assume outra forma ainda por mim desconhecida.

Desço agora os declives da minha própria montanha,
Pairando pela cidade que se eleva na encosta
De uma outra montanha onde os legados de Gigantes se encontram.
Ao caminhar no passadiço que cruza o vale
Encontro o tão aclamado Pi.

 

 

Datas importantes

30 de novembro de 2018 – Data limite para participação
18 de dezembro de 2018 – anúncio da decisão do júri (atualizado)
16 de março de 2019 – Entrega de prémios (Salão Nobre da Câmara Municipal da Covilhã)

 

Ficha de inscrição (PDF)
Normas de participação (PDF)
Cartaz (A3, pdf e jpg)

 


Normas de participação

 

Preâmbulo

Um grupo de professores de Matemática da Covilhã, juntamente com a vereadora da Cultura da Câmara Municipal da Covilhã, pretende comemorar, no dia 14 de março de 2019, o Dia do Pi. Nesse âmbito vai realizar-se um concurso de poemas ao número Pi. Na página

cidadedopi.wordpress.com

pode ser encontrada mais informação sobre o número Pi e sobre as próprias comemorações.


Artigo 1.º
Objectivos

Com este concurso pretende-se promover o gosto pela Matemática e pela Língua Portuguesa.


Artigo 2.º
Destinatários

O Concurso destina-se a todos os interessados residentes ou naturais do concelho da Covilhã, sendo proibida a participação de qualquer membro do júri do concurso e de qualquer membro da Comissão Dinamizadora da Cidade do Pi.


Artigo 3.º
Modalidades

O concurso tem duas modalidades de participação:

  • Júnior: idade até 16 anos em 31 de dezembro de 2018;
  • Sénior: idade superior a 16 anos em 31 de dezembro de 2018.

Artigo 4.º
Tema

Os interessados em participar neste concurso devem escrever um poema original em língua portuguesa sobre o número Pi.


Artigo 5.º
Confidencialidade dos Concorrentes

Os concorrentes apresentam-se a concurso usando um pseudónimo.
Os poemas devem ser entregues num envelope fechado e sem qualquer indicação do remetente. Esse envelope, para além de 6 (seis) cópias do poema, deverá conter um envelope selado.
O envelope selado deve conter a ficha de inscrição para o concurso.
No exterior do envelope selado deve apenas constar o pseudónimo do concorrente.
A ficha de inscrição pode ser descarregada em cidadedopi.wordpress.com.

 


Artigo 6.º
Apresentação dos Trabalhos

O poema apresentado a concurso deve ser redigido em 12pt, com espaçamento 1.5 e, no máximo, até duas páginas A4.
No cabeçalho de cada página deve constar o pseudónimo e a modalidade a que concorre.


Artigo 7.º
Envio dos Trabalhos

O poema poderá ser entregue em mão a qualquer membro da Comissão Dinamizadora da Cidade do Pi ou enviado via CTT para o endereço:

Concurso de Poemas ao Número Pi
a/c António Jorge Gomes Bento
Departamento de Matemática
Universidade da Beira Interior
6201-001 Covilhã


Artigo 8.º
Prazo de Entrega

O prazo de entrega dos poemas é 30 de novembro de 2018. Para os trabalhos enviados por correio será considerada a data do carimbo dos CTT.


Artigo 9.º
Constituição do Júri

O Júri do Concurso de Poemas ao Número Pi é composto por:

Maria Regina Gomes Gouveia
(Vereadora do Pelouro da Cultura da Câmara Municipal da Covilhã);

Manuel Joaquim Félix da Silva Saraiva
(Professor Aposentado da Universidade da Beira Interior);

Teresa Duarte Reis
(Escritora e professora aposentada);

Cristina Caetano
(Coordenadora da Biblioteca Municipal da Covilhã);

Ivo Rocha da Silva
(Escritor).


Artigo 10.º
Critério de Avaliação e de Seleção

A avaliação dos poemas será realizada com base nos seguintes critérios:

  • Adequação ao tema proposto;
  • Valor estético da escrita;
  • Imaginação e criatividade;
  • Originalidade;
  • Qualidade literária.

Artigo 11.º
Utilização dos Poemas Premiados

A Comissão Dinamizadora da Cidade do Pi levará a efeito outro concurso onde se pretende musicar os poemas premiados, sem quaisquer obrigações em termos de direitos de autor.


Artigo 12.º
Direitos de Autor

Todos os trabalhos que forem distinguidos pelo júri poderão ser divulgados ou publicados pela Comissão Dinamizadora da Cidade do Pi, sem quaisquer obrigações em termos de direitos de autor.
Os restantes trabalhos participantes não serão devolvidos, salvo reclamação do autor num prazo máximo de 60 dias a contar da data de entrega dos prémios do referido concurso.


Artigo 13.º
Notificação e Publicitação dos Premiados

Os premiados serão contactados por correio eletrónico ou telefone, exceto se se justificar outro meio. Na página cidadedopi.wordpress.com serão colocados os nomes dos premiados e os respetivos poemas.


Artigo 14.º
Prémios

Serão atribuídos prémios aos três primeiros classificados em cada modalidade.
Os prémios serão oportunamente anunciados na página cidadedopi.wordpress.com.
Os prémios serão entregues numa cerimónia pública a realizar no dia 16 de março de 2019 no Salão Nobre da Câmara Municipal da Covilhã.


Artigo 15.º
Casos Omissos

Os casos omissos e as dúvidas de interpretação destas normas serão resolvidos pelo Júri, não havendo direito a recurso das decisões do Júri.

Anúncios
Create your website at WordPress.com
Get started
%d bloggers like this:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close